segunda-feira, setembro 27

João Ermida apresenta Agarrem o Futuro

Palavras de um executivo para as novas gerações.
Os erros que originaram as últimas crises económicas. Descubra as soluções para um futuro melhor.

ACERCA DO LIVRO:

Com os anos 80 nasceram os grandes executivos de topo, e com eles veio também a indisponibilidade para a família, pois isso implicaria trabalhar menos horas e nenhum trabalhador ao minuto podia chegar cedo a casa. Isso seria considerado um desrespeito pela empresa, uma falta de compromisso com o projecto. E para quê? Para deixarem aos seus filhos um mundo que neste momento nada tem de interessante? Um mundo cada vez mais perigoso, onde os valores sociais fundamentais foram postos de lado e esquecidos? Uma crise sem precedentes?
É tempo de mudar. Ainda é tempo. Mas para isso, será necessária uma nova classe de dirigentes, uma lufada de ar fresco na sociedade global. Está nas mãos desta nova geração alterar este estado de coisas, criando empresas que atraiam uma «onda positiva» para os seus negócios. É urgente termos um mundo mais justo, mais solidário.
Este novo mundo global não tem sabido gerir o stress do seu próprio crescimento. Se nada for feito no curto prazo antevê-se um cenário sombrio ao futuro do capitalismo.

ACERCA DO AUTOR:
João Ermida nasceu no Porto, a 8 de Janeiro de 1965. Aos 10 anos de idade mudou-se para o Brasil com a família, devido à convulsão política em que Portugal se encontrava depois da revolução de 1974. Permaneceu no Rio de Janeiro até 1978, momento em que regressa a Portugal. Passou por Coimbra, mas acabou por se fixar em Lisboa, onde estudou Economia na Universidade Católica Portuguesa, não tendo terminado o curso. Em 1987, iniciou o seu percurso profissional como operador de Bolsa, no escritório do corretor Nuno Contreras. No final de 1988, junta-se ao Citibank Portugal para integrar a sua equipa de mercado de capitais. Em 1993, inicia a sua carreira no Grupo Santander: primeiro em Portugal, depois no Brasil e, já em finais de 1998, em Espanha, com a responsabilidade global de Tesouraria e Mercados Financeiros. Em Maio de 2003, demitiu-se da Instituição afastando-se por alguns anos da área financeira. Em 2009 foi nomeado pelo Banco de Portugal como Administrador Provisório do Banco Privado Português. Dedica também o seu tempo à edificação da Fundação Vida Maior que se destina a atender os idosos mais carenciados. É, ainda, vice-presidente do Centro Social Paroquial da Ajuda.
Desenvolveu um método chamado Verdade, Humildade e Solidariedade destinado aos executivos do futuro, sobre o qual dá palestras às empresas e escolas de gestão que deu origem ao seu primeiro livro com o mesmo nome.
Participa regularmente no programa A Cor do Dinheiro, de Camilo Lourenço, na SIC Notícias. Este é o seu segundo livro.

1 comentário:

Daniel disse...

Gostava de ter estado presente. O trabalho por turnos não permitiu... Que tal registarem em video as apresentações para poderem ser visualizadas na net?
Obrigado, D.